Não Há Algo Mais Correto Que a Semente

O lavrador lança na terra as sementes adquiridas com o precioso dinheiro. Pensando bem, é um negócio arriscado. Mas, posteriormente, são essas sementes que retornarão ao lavrador na hora da colheita, multiplicando-se muitas e muitas vezes em forma de frutos. Pensando nessa verdade, as pessoas hão de compreender que não devem se prender somente às coisas presentes e imediatas.
O lavrador planta as sementes dos produtos que quer colher. Se quiser colher rabanetes, planta sementes de rabanete; se quiser cenouras, planta sementes de cenoura. Isso porque ele sabe que se plantar poderá colher depois os produtos das respectivas sementes, que se multiplicam centenas ou milhares de vezes, recompensando-o do esforço e do capital aplicado. Contudo, se não plantar as sementes, elas não se multiplicarão e, portanto, não haverá colheita. Assim, as sementes não terão valor algum se ficarem guardadas, e pior ainda se todas elas forem consumidas.
Gastar em sementes para o plantio é aplicar dinheiro, é um investimento. Se o lavrador relutar em gastar dinheiro para adquirir as sementes, não verá nunca a época de obter boas colheitas. Além disso, as sementes têm que ser plantadas no devido tempo. Quanto mais fora do tempo forem plantadas, menor será a colheita. Por isso, não se pode vacilar e arriscar a errar a época certa do plantio.
Todos nós, se tivermos algo que desejamos colher, devemos plantar a devida semente. Quem desejar carinho e compaixão, deve plantar antes sementes que produzam esses sentimentos; quem quiser dinheiro, tem que plantar sementes que resultem em dinheiro; e quem quiser saúde, precisa plantar sementes que tragam saúde.
Por exemplo, a semente de sentimentos como carinho e compaixão é o espírito de verdadeira sinceridade: é o espírito de tratar todas as pessoas com amor e consideração. A pessoa que viver dedicando o espírito de contentar e ajudar os outros, deixando os seus próprios problemas para depois, certamente será agraciada, ganhando a confiança e o respeito de todos, e um dia ela mesma se sentirá recompensada por viver cercada de apoio e carinho dessas pessoas. Não se pode esperar em receber o sentimento de amor e afeição dos outros sem antes dar o seu próprio.
Quanto mais a pessoa desejar dinheiro, mais sementes que produzam dinheiro ela precisa plantar. A “dedicação” que se ensina na Tenrikyo refere-se ao plantio dessas sementes. O fato das sementes serem devolvidas em um grão multiplicado em milhões de vezes é a razão celeste, e já que não há nenhum erro na razão celeste, não é preciso ter nem um pouco de dúvida ou desconfiança. Mesmo assim, o fato de existirem pessoas que relutam em plantar as sementes e ainda fazerem brotar dentro de si o espírito de preocupação e insatisfação, significa que elas têm um espírito muito mesquinho e ambicioso por lucros e vantagens imediatas.
Se a pessoa desejar levar no futuro uma vida rica e confortável, é bom que ela tenha uma maneira limpa e honesta de dar ou gastar dinheiro. O segredo de saber se a pessoa é ou não afortunada em adquirir riquezas não está na sua maneira de ganhar ou ajuntar dinheiro, e sim na sua maneira de gastá-lo. Portanto, quem usa o dinheiro limpa e honestamente, com o propósito de ajudar os outros e proporcionar o bem-estar da sociedade, essa pessoa será agraciada com mais dinheiro no futuro. Agora, se a pessoa fizer uso sujo do dinheiro, é como quem tem prisão de ventre e tende a perder o apetite: ela vai-se tornando mesquinha e deprimente.
Quem gasta dinheiro apenas para o seu bel-prazer e capricho pessoal, será sempre perseguido pela falta de dinheiro. Ainda mais quem faz mau uso do dinheiro, gastando-o para fazer os familiares e os outros sofrerem e chorarem: não só arruinará a sua própria vida como também destruirá o seu lar. A verdade é que as sementes plantadas em bom terreno darão muitos frutos e muitas alegrias, mas o dinheiro jogado na lama não dará fruto nem alegria alguma.
A pessoa que deseja ter saúde não deve relutar em trabalhar e movimentar o seu corpo. Trabalhar significa aliviar o próximo, isto é, prestar benefício aos outros; por isso, devemos fazê-lo com ânimo, alegria e dedicação. Além do mais, quanto mais a pessoa trabalhar, mais forte seus braços ficarão, fortalecendo também as suas pernas e quadris. E quanto mais força fizer e mais suor derramar, mais saudável o seu corpo ficará. Ao contrário disso, se a pessoa fizer somente as coisas à sua vontade e capricho pessoal, e tornar-se escrava dos seus desejos egoísticos, maltratando o seu corpo ou trabalhando com descontentamento, ela só ficará cansada e sua saúde se arruinará.
Não existe outra atividade que mais fortalece o corpo, mesmo daquele que se diz fraco, do que o trabalho referido como hinokishin na Tenrikyo. Isso porque as pessoas fazem o hinokishin com ânimo e sinceridade, sentindo a verdadeira alegria de trabalhar e abandonando a ambição e a avidez, e principalmente, quando a pessoa o fizer com todo o esforço e derramando o suor, gratuita e voluntariamente, levando o seu próprio lanche e pagando as suas despesas, e ainda agradecendo por ter tido a oportunidade de participar também dessa atividade. Esse é o verdadeiro sentido do trabalho ensinado como hinokishin. Portanto, quanto mais a pessoa deseja ter saúde, mais dedicada ela deve ser, empenhando-se de corpo e alma no hinokishin.

Texto extraído do livro "A Força do Espírito" de Sashiti Ono